Publicidade

  • kartucho
  • verde
  • MARMORARIA VITORIA

Governo diz que sete cidades do Paraná têm alto risco de epidemia de dengue

 

dengue2Sete municípios do Paraná têm alto risco de sofrer com uma epidemia de dengue neste ano. O risco é medido a partir do Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), que contabiliza a quantidade de focos a cada cem residências.

 

No caso de Loanda, Nova Londrina, Sarandi, Bela Vista do Paraíso, Cambé, Guaíra, Diamante do Oeste o índice está acima de 4%, considerado alto pelo Ministério da Saúde. Entre 1% e 4%, o risco é tido como mediano. Ao todo o Paraná possui 83 municípios que podem sofrer com uma epidemia da doença neste ano.

 

O verão é considerado pelas autoridades o período mais delicado quando se fala de dengue. Isso porque nas estações quentes chove mais, portanto, há um acumulo de água mais significativo. Além disso, as alturas temperaturas favorecem o desenvolvimento da larva para mosquito.

 

Visando reduzir em todo o país o número de incidências, o Ministério da Saúde anunciou um aumento de 20%, para 1.159 municípios, na verba do Piso Fixo de Vigilância e Promoção à Saúde, que é repassado rotineiramente para os municípios. No Paraná, 129 cidades serão contempladas, ou seja, haverá R$ 2,6 milhões a mais para evitar novos casos.

 

Juntas as cidades com alto risco, vão receber R$ mais de 1,6 milhão com destaque para a cidade de Cambé, na região de Londrina, no norte do estado, que vai receber mais R$ 68.156,83. Entre as cidades de alto risco, apenas Diamante do Oeste não vai receber o reforço financeiro do governo federal.

 

Como evitar a proliferação do mosquito

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, o número mais significativo de focos da dengue está em residências. Por isso, é impostante que os moradores adotem medidas preventivas. O ciclo de vida do Aedes aegypti, mosquito transmissor da doença, do ovo à fase adulta, leva de sete a dez dias. Se a verificação e a eliminação dos criadouros for realizada uma vez por semana, é possível interromper esse processo.

 

Uma das dicas é colocar areia no prato das plantas ou trocar a água uma vez por semana. Mas não basta esvaziar o recipiente. É preciso esfregá-lo, para retirar os ovos do mosquito depositados na superfície da parede interna, pouco acima do nível da água. O mesmo vale para qualquer recipiente com água.

 

Pneus velhos devem ser furados e guardados com cobertura ou recolhidos pela limpeza pública. Garrafas pet e outros recipientes vazios também devem ser entregues à limpeza pública. Vasos e baldes vazios devem ser colocados de boca para baixo. Limpe diariamente as cubas de bebedouros de água mineral e de água comum. Seque as áreas que acumulem águas de chuva. Tampe as caixas d’água.

 

Redução de casos no Paraná

O número de casos de dengue de agosto a dezembro de 2011 diminuiu 78% no Paraná quando comparado ao mesmo período de 2010. No último ano, 191 pessoas que contraíram a doença dentro do estado, contra 887 em 2010. O dado foi divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde e indica também que no total, ou seja, contabilizando os casos de pessoas infectadas fora do Paraná, a redução foi de 75%. A taxa de incidência é de 1,83 casos por 100.000 habitantes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MEGA SENA

Rádio Cabiúna no Facebook

No Twitter

 
 
 

FEED RSS

Você está aqui: Home Jornalismo Regional Governo diz que sete cidades do Paraná têm alto risco de epidemia de dengue