Publicidade

  • kartucho
  • verde
  • MARMORARIA VITORIA

Eu Repórter na Cabiúna... Cabral & o Engodo...

                            Dos idos da Idade Média, os países dominantes, ditos de 1º mundo ( Europa ), tinham como têm até hoje o fator clima, que induz a sazonalidade na produção de alimentos. Os recursos tecnológicos daquela época para conservar os alimentos, muito rudimentares, eram determinantes para os altos números de mortes, da própria fome ou das consequências advindas desta.
          Uma das técnicas, da época, para a conservação de alimentos era o uso de especiarias (ervas condimentares) que vinham da Índia mas, que pelas altas taxas impostas, seu custo era impeditivo para a maioria.

          O Rei de Portugal, enviou Pedro Alvares Cabral para abrir uma nova rota marítima às Índias, que Vasco da Gama tinha descoberto em 1497, evitando assim as altas taxas cobradas, bem aí o Cabral se perdeu e, “aportou” à “terras brasilis”, como é do conhecimento de todos.

          Os habitantes com os quais foram mantidos os primeiros contatos, eram os índios tupinambás, tupiniquins e aimorés e, o primeiro “engodo” aplicado em “terras brasilis” , foram os badulaques “presenteados” pelos portugueses, com o objetivo de agradar os seres inferiores mas, com segundas intenções.

          Fazendo uso da prerrogativa de narrador e, tergiversando; nos países desenvolvidos do hemisfério Norte, os trabalhadores são remunerados semanalmente, ou seja, recebem por semana trabalhada. Mês de 4 semanas, recebe as 4 semanas e mês de 5 semanas, recebe as 5 semanas. Na “terra brasilis” o sistema adotado é mensal, ou seja 12 meses por ano, logo o “nativo” tem direito a 12 salários por ano.

          Ocorre que o ano tem 52 semanas, dividindo por 4 semanas ( mês ), resulta o número 13 (TREZE). Na ERA VARGAS , foi instituído o 13º salário e não se mexeu até hoje, ou seja o 13 º SALÁRIO É MAIS UM ENGODO ! ... pois, você trabalhou os dias que estão sendo “ presenteados” e, os nativos condicionados, aceitam como se fosse um presente.

          Embora, tenhamos avançado ( no tempo ), em pleno ano de 2011, ainda há mentes superiores que priorizam tal engodo. Eles acham que nós somos descendentes diretos dos nativos, ou a mente deles que é nativa e, dos “moldes” dos colonizadores.

          O “modus operandi” está tão arraigado que, presidentes de agremiações, governantes e toda classe dos detentores do poder usam de tais artifícios e, o pior “os presentes” são propriedades do todo mas, os sortudos e, os privilegiados que vão ter o possível acesso a “tal presente” é : A MINORIA EM DETRIMENTO DA MAIORIA. ... HAJA ENGODO ! ! !

          O Cabral presenteava com badulaques de bens pessoais; de fato, houve progresso, os bens presenteados atualmente são dos próprios “nativos” ! !
Paulo Rensi         
Bandeirantes – PR 
Você está aqui: Home Jornalismo Eu Repórter Eu Repórter na Cabiúna... Cabral & o Engodo...