Publicidade

  • MARMORARIA VITORIA
  • kartucho
  • verde

Eu Repórter...A História, Revela-nos a Atualidade ! !

Em 24 de Dezembro de 1926, em notas do tabelião Dr. Gabriel da Veiga, da capital de São Paulo, Dona Josephina Alves de Lima, proprietária de grande gleba de terras na divisão “Fazenda Laranjinha”, vendera ao senhor João Manoel dos Santos, 10 alqueires de terra que destinaram-se à fundação de um povoado que tomaria o nome de Invernada.


Por esta escritura a transmitente, impôs ao comprador senhor João Manoel dos Santos, a condição de ceder independente de pagamento, uma data de terras ao senhor João Cravo, seu agregado. ... NOTEM O INICIO ... “DOAÇÃO” ! ! .

Demarcado o novo patrimônio e com o avanço da estrada de ferro São Paulo- Paraná, desenvolveu-se rápido, surgindo,também, a vila Rezende, de propriedade do senhor Azarias Vieira de Rezende.

Por influência do senhor Alberto Faria Cardoso, um batalhador pelo progresso de Invernada, cria-se em Abril de 1929 o Distrito da Paz, cuja instalação concretizou-se em 8 de Dezembro de 1929.

Em Julho de 1930, a companhia férrea São Paulo- Paraná, inaugura a sua estação à três quilômetros da sede do patrimônio da Invernada e, foi chamada de estação Bandeirantes.

Por força da inauguração da estação, surge aí um povoado em terras do senhor Juvenal Mesquita, que tinha como procurador o senhor Eurípedes Mesquita Rodrigues, que, mais tarde, adquiriu as terras adjacentes, onde hoje situa-se a cidade de Bandeirantes.

Em Setembro de 1931, o povoado da estação, que já contava com um núcleo de homens de boa vontade, inicia um trabalho de coligação em favor do desenvolvimento da estação e consequentemente a queda do patrimônio da Invernada, que era constituido com Cartório de Registro Civil, Coletoria Estadual, grande comércio, hotéis, farmácia, correio, etc..

Em Março de 1932, tendo à frente o senhor Ozório Gonçalves Nogueira, Eurípedes Mesquita Rodrigues, José Gabelone, Antenor Moretti, Pedro Rosa Luiz, Antonio e Vitório Storer, José Aranha e muitos outros, iniciou-se a limpeza da quadra número 8, quarteirão 8, onde seria construído o primeiro rancho, que deveria servir para as cerimonias religiosas.

Favoreceu extraordinariamente a mudança de Invernada, a decisão do senhor Eurípedes Mesquita Rodrigues, em acordo com os senhor Ozório Gonçalves Nogueira, de doar aos moradores de Invernada, uma data para a edificação de suas casas que fossem arrancadas dentro de determinado tempo. ... & ... CONTINUOU AS DOAÇÕES ! !

Em 14 de Novembro de 1934, o senhor Manoel Ribas, Interventor Federal do Estado, assina o decreto de criação do município de Bandeirantes; cuja instalação se deu em 5 de Janeiro de 1935, sendo seu primeiro prefeito o engenheiro Dr. Rafael Antonacci, que teve a primazia de assinar o contrato de fornecimento de luz e força.

Nota-se que houve gestos antagônicos para a expansão de povoado a município, uns doando e outros recebendo ( pré-condição para a mudança das residências do patrimônio da Invernada ). Atualmente, não existe a presença de pessoas bondosas, que porventura viessem a doar terrenos à outrem, e em virtude dessa nova realidade, vivenciamos a usurpação do bem público privilegiando “uns poucos”. O exemplo que mais choca é a “grilagem” de espaço público para construção particular na área urbana.


SERÁ QUE AS “MANIAS” DEMORAM MAIS DE UM SÉCULO PARA MUDAR ? ?

mesmo assim .... PARABÉNS BANDEIRANTES & BANDEIRANTENSES ! ! !

 

Paulo Rensi

Bandeirantes –PR

Você está aqui: Home Jornalismo Eu Repórter Eu Repórter...A História, Revela-nos a Atualidade ! !