Publicidade

  • image
  • ELEICOES

Morre o capitão que imortalizou um gesto

O São Paulo FC comunica, com o mais profundo pesar e saudade, o falecimento, na tarde desta quinta-feira (20), em São Paulo e aos 83 anos de idade, do ex-zagueiro do São Paulo FC, Hideraldo Luis Bellini. Craque do Tricolor na década de 60, Bellini sofria de Mal de Alzheimer.

Bellini consagrou-se como capitão da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 58, a primeira vencida pelo país. A foto de Bellini levantando a Taça Jules Rimet com as duas mãos sobre a cabeça é uma das marcas do futebol brasileiro e mundial.

 

O zagueiro tinha um estilo raçudo, voluntarioso diferente do estilo clássico de Mauro, a quem veio substituir no São Paulo. Atuou no Tricolor numa época de títulos escassos, visto que o clube se voltava para a construção do Estádio do Morumbi. Mesmo assim tornou-se um jogador importante na hist

ória do São Paulo.

 

O São Paulo FC se solidariza com amigos e familiares, pesaroso pela perda de um grande ídolo.

 

ENCONTRO DE CAPITÃES

Nesta foto, Bellini jogava pelo Clube Atlético Paranaense em um jogo aqui em Bandeirantes, no Estádio Comendador Luiz Meneghel na década de 60, contra o saudoso União Bandeirante Futebol Clube, naquela época o nosso capitão era Serafim.

 

 

 

BELLINI

 

Zagueiro

 

Jogos disputados pelo SPFC: 214

Estreia: 17/03/1962

Último jogo: 14/01/1968

Gols Marcados no SPFC: 1

Nascimento: 21/06/30, Itapira (SP).

Títulos conquistados no SPFC: nenhum.

 

Velório acontece no Salão Nobre do Morumbi

 

 

O ex-zagueiro será velado no Salão Nobre do Estádio do Morumbi. Tão logo soube da morte do ex-jogador, o presidente do São Paulo FC, Juvenal Juvêncio, entrou em contato com a família para prestar sua solidariedade e colocar o clube à disposição.

 

"O grande capitão. Essa é a marca do Bellini. Não só morre um atleta respeitado no mundo todo pela conquista inédita da Copa do Mundo de 58, mas um jogador que fez história e deixará saudade em todas as equipes por onde passara. Apesar dos inúmeros títulos, ele será lembrado sempre por ter sido o grande capitão do Brasil", ressaltou o presidente são-paulino.

 

O velório será realizado a partir das 7h, e segue até às 15h. Em seguida, o corpo segue para Itapira, cidade que fica a 170km da capital paulista, onde será enterrado no sábado, no Cemitério Municipal da cidade.

Você está aqui: Home Jornalismo Esporte Morre o capitão que imortalizou um gesto